Amanda Iniciando no Prozac – Protocolo Changing Minds

 

Clique na legenda – legenda em espanhol  – No Vídeo IQ = QI Quociente de Inteligência

Já estamos pensando no ano que vem !!! A Amanda vai para o Jardim III, aprender a escrever as letrinhas e iniciar na leitura.

Hoje ela sabe a maioria das letras, mas ainda não as escreve.

Fomos a pediatra da Amanda Dra Eliana Branco que estará realizando o acompanhamento do protocolo Changing Minds

A Amanda está tomando os óleos americanos e as vitaminas desde os dois anos, e a partir de agora entra no Prozac ( Fluoxetina ), optamos pelo genérico pois vem em forma de comprimidos o original é em capsulas.

Verificando o Protocolo Changing Minds encontrei esse vídeo muito legal, onde conseguimos ver os avanços das crianças que estão no protocolo.

Estamos muito confiantes com o tratamento, abaixo explicação sobre o Prozac.

Prozac ( Fluoxetina)

Em 2006, a Universidade de Maryland School of Medicine tratou ratos com síndrome de Down com fluoxetina por 24 dias. A neurogênese, ou formação de novos neurônios, aumentou para um nível normal. Isto é como aumentar o hardware do seu computador.

Os fetos com síndrome de Down, os neurônios não têm um desenvolvimento dendrítico normal. Esta falha de desenvolvimento resulta em comprometimento intelectual.

Um fato sabido por muito tempo – os indivíduos com síndrome de Down têm metade da potência normal do cérebro

Na Universidade de Yale, Dr. Ronald Dumon estava trabalhando com antidepressivos e não conseguia entender por que o Prozac demorava cerca de um mês ou dois para efetivamente elevar o humor dos pacientes .

Trabalhando em cooperação com a equipe no Instituto Rockefeller, ele verificou que era muito mais do que serotonina extra, que neste tempo de espera o cérebro produziu cerca de 50% mais neurônios, somente após este prazo que o ânimo dos pacientes deprimidos se elevou. E agora sabemos que Prozac cria novos neurônios!

É um fato conhecido que as pessoas com síndrome de Down não tem o mesmo número de neurônios que os outros indivíduos Não é apenas o número de nervos reduzidos, eles não são produzidos corretamente.

Mas o que pode ser feito sobre isso? Parecia ser uma causa perdida. Bem, não é ! Não desde a descoberta do Dr. Gould e descobertas do Dr. Duman!

A Universidade de Maryland School of Medicine, fez um estudo simples, mas elegante, para testar o efeito de Prozac em ratos com síndrome de Down.Foi publicado em 19 de abril de 2006. Eles mostraram que após 24 dias de tratamento com Prozac o número de neurônios em ratos com síndrome de Down mais do que duplicou, passando de uma contagem de 1700 para mais de 4200.

A parte notável é que ambas as formas e agrupamentos necessários também melhoraram

Será que vai realmente ter o mesmo efeito nos seres humanos? Por que não?

Como o estudo já disse anteriormente , eles gostam de visualizar o cérebro como um computador. Para um computador fazer o seu trabalho tem que ser ligado a uma fonte elétrica e tem um disco rígido capaz de lidar com a carga de informações para ser colocado sobre ele.

Com os dois tratamentos de Ginkgo biloba e Prozac, o Ginkgo Biloba representa o tampão que permite que o sinal eléctrico passe através do nervo corretamente, e o Prozac aumenta o tamanho e configuração da unidade de disco rígido para assegurar que pode lidar com a carga de informação.

Os tratamentos discutidos se destinam a preparar o cérebro para ser capaz de responder ao ensino.

Também pode haver um benefício inesperado. Em suas discussões Dr. Gould observa que a perda de neurônios são substituídos continuamente.

No entanto, se o número de neurónios cai abaixo de um determinado nível, o cérebro parece ir para a defensiva e dirige toda a sua energia para a manutenção do fornecimento existente, e para a geração de novos substitutos. Isto leva a mais neurodegeneração.

Com efeito, isso descreveria a situação com a síndrome de Down o cérebro que tem apenas metade da oferta de neurônio normais a partir do nascimento. Se assim for, a produção ao nível de neurônio fica completa com Prozac, e superaria essa fonte de neurodegeneração.

Lembrando que o Prozac só pode ser utilizado sob prescrição médica de um neurologista, psiquiatra ou pediatra.

Beijos Simone Santiago Marques

 



2 Comentários para “Amanda Iniciando no Prozac – Protocolo Changing Minds”

  1. Olá! Lí que você começou a administração de Fluoxetina em 2015, sentiu alguma diferença? Eu não achei mais nenhum post a respeito…

    Abraço!

    Responder
    • Durval, Amanda tomou por desde set / 2015 até dez / 2016, em conjunto com os óleos do protocolo changing minds. Fez esse protocolo desde os 2 anos ( hoje ela está com 8 anos ), introduzimos o prozac completando o protocolo. Neste início de ano acabamos parando, a compra dos óleos estava ficando inviável ( em dólar), sem os óleos só com o prozac notamos que ela estava ficando super irritada por nada.Como eu diluia o prozac nos óleos para tomar acho que ia bem, só ele fiquei pensando se não causava nenhuma queimação, por isso a irritação. Se lá pode ser coisa de mãe. kkk Mas após parar com o prozac ela ficou mais tranquila. Boa sorte Simone

      Responder

Deixe um comentário