Nascimento e UTI

Chegamos cedo ao hospital , logo  já me mandaram entrar no centro cirúrgico para me preparar, fiquei nervosa, minha Mãe ainda não tinha chegado! A Enfermeira me prometeu que assim que ela chegasse ela me chamaria, dez minutos depois minha Mãe chegou, agora sim eu estava pronta!

O parto foi cesárea e a Dra nos avisou que provavelmente a Amanda não choraria.

Amanda nasceu as 9:00 e ela chorou! Não pude pegá-la no colo, nem o Lúcio ela foi para a incubadora e direto para a UTI. Foram os dias mais difíceis.

Ficamos no quarto, aguardando notícias. Ela nasceu no dia 22 de Outubro de 2008, com 28 semanas de gestação, (6 meses completos) 30 centímetros e 860 gramas, os bebês prematuros com baixo peso são chamados de Bebê P.I.G (pequeno para a idade gestacional).

Nas visitas a UTI podíamos somente tocá-la, estava entubada, tão pequenina com tantos barulhos a sua volta, os barulhos acabam nos assustando, depois já aprendemos o que cada um deles significa.

Hora da minha alta, que triste sair da maternidade sem o nenê.

Antes das visitas na UTI tirava leite no próprio Hospital,  para que fosse possível ela se alimentar via sonda, já que ela não podia mamar.

Os bebês chegam na UTI a toda hora, cada um com sua história, alguns infelizmente não resistem e como é muito triste na hora da visita ver que o espaço antes ocupado, agora estava vazio.

Não podia dirigir e meus familiares se revezavam para me levar as visitas da UTI de manhã e a  tarde,  a noite o Lúcio voltava do trabalho e íamos juntos, inclusive a Dona Camila, não era sempre que ela podia entrar para ver a irmã, quando entrava era uma festa, que feliz ela ficava. Antes de engravidar a Camila ficava pedindo nas orações que Papai do Céu mandasse um irmãozinho(a) para nossa casa, ela estava tão feliz que o nenê chegou, explicamos para ela que a Amanda só iria para casa no final do ano.

Comecei a tomar um remédio chamado Equilid  para estimular a produção de leite. Como não tinha um Bebê que mamasse o tempo todo, era o único jeito.

A maioria dos bebês após o nascimento perdem peso, a Amanda chegou a 490 gramas a partir daí que começou a ganhar peso, marcávamos todos os dias o peso dela , teria alta quando estivesse pesando pelo menos 2 quilos. Ganhava em um dia, mantinha no outro que sufoco!!!

Chegou o grande dia de amamentar, ela estava com 34 semanas, peguei ela no colo, com máscara e uma  roupa especial, que emoção. E ela mamou bem lindinha, como era muito pequena na hora de amamentar eu tinha que segurar a cabecinha com delicadeza. Mamar queima calorias, só podia amamentar uma vez por dia, as outras mamadas era por sonda.

Pouco a pouco ela foi se desenvolvendo começaram a aparecer os cílios e as sobrancelhas, crescer as unhas, nessa hora não tem como não acreditar em Deus, um bebê tão frágil ,lutando e conseguindo superar mais essa dificuldade .

O passo mais esperado pelas mães é a  ida do bebê para o berço. A partir desta fase eles começam a usar roupinhas , já era Dezembro, esperamos que ela fosse liberada no Natal., ainda não foi possível , nem no Ano novo. No final de dezembro, apareceu um abscesso no umbigo, como era somente superficial, conseguimos ir para casa no dia 06 de janeiro de 2009.

Aprendemos a dar banho no hospital, mas é claro que essa responsabilidade ficou para o Lúcio quando chegava do trabalho ou quando minha Mãe não podia ir lá em casa. (eu como sempre apavorada , tinha medo!!!)

Que delícia poder estar em casa, a Amanda amou a casa dela, sem barulhos! Até hoje ela não gosta de barulho, dormia  muito no maior sossego, a noite não conseguia acorda-la para mamar de jeito nenhum.A Pediatra Dra Eliana Branco me instruiu para deixarmos dormir a noite, mamava as 11:30 e ia mamar novamente as 05:30.  Desde os primeiros dias ela dormia no quarto dela, compramos uma babá eletrônica que conseguíamos ouvir até a respiração .

Foram 76 dias de UTI.

Obrigada todos que acompanham o blog e aos carinhosos comentários,

Beijos  Simone Santiago Marques

 



2 Comentários para “Nascimento e UTI”

  1. Sempre que posso dou uma passadinha pelo seu Blog. Hoje ao ler sobre o nascimento da Amanda fiquei emocionada, foi como se você estivesse contando a minha historia, o nascimento prematuro do bebê aos 6 meses e toda a trajetória da vitória que é levar o bebê para casa.
    Minha filha se chama Sofia, esta com 5 anos, estuda escola regular, ainda não fala frases, mas estamos caminhando. Ela faz acompanhamento com o Dr. Zan e com o Dr. Guido, pois tem hipotiroidismo e diabetes tipo I, essa ultima apareceu em setembro de 2015, mas agora já esta sob controle.
    Estou sempre em busca de informações que possam somar e ajudar a ampliar as possibilidades da Sofia, procuro compartilhar no face , é sempre bom fazer trocas.

    Parabéns , pela história, pela vitória e pela alegria de ser mãe
    bjs Regina

    Responder
    • Regina que bom que você gosta do blog. Nossas histórias precisam ser compartilhadas, estamos todas no mesmo barco. A Amanda agora está com 7 anos e começando a formar frases. Beijos e boa sorte para nós !!! Simone

      Responder

Deixe um comentário