São Paulo ganha sua primeira cafeteria -‘Chefs Especiais Café’

cafete

Henrique Fogaça é um dos diversos nomes da gastronomia brasileira que apoiam o projeto ‘Chefs Especiais’ Foto: Instagram/@henrique_fogaca74

Chefs Especiais Café’ foi inaugurado nesta quinta-feira, 8, em São Paulo; iniciativa é inédita no País

‘Respeito, oportunidade, amor e inclusão’. Quem chega ao Chefs Especiais Café, instalado no Jardim Paulista, em São Paulo, logo encontra esses ‘ingredientes’ no cardápio. O local foi inaugurado nesta quinta-feira, 8, com um objetivo: ser a primeira cafeteria do Brasil atendida por portadores de Síndrome de Down.

O projeto é uma iniciativa do Instituto Chefs Especiais, que atua em São Paulo desde 2006, promovendo a integração de pessoas com Down através da gastronomia. A instituição oferece cursos de culinária e recebe cerca de 300 alunos anualmente.

Com a inauguração da cafeteria, os alunos terão a chance de aprimorar suas habilidades. “Funcionará como estímulo, como estágio, como valorização. É um treinamento para que eles busquem outros postos de trabalho”, explica Simone Berti, uma das fundadoras do Instituto.

Serão cinco funcionários com Down no espaço: dois efetivos e três rotativos. Um coordenador que não porta a síndrome ficará responsável por orientar a equipe.

Apoio de chefs renomados. Além do engajamento de pais e integrantes do Instituto, a iniciativa também atraiu os olhares de diversos nomes da gastronomia brasileira, como Carlos Bertolazzi, Guga Rocha, Henrique Fogaça e Palmirinha Onofre, que estiveram na inauguração.

“É um projeto que conecta muita gente do bem. Tanto os fundadores quanto quem circula no ‘Chefs Especiais’ tem a mesma ideia de mundo: fazer com que as pessoas se desenvolvam através das suas especialidades”, afirma Guga Rocha.

cafe

Para ele, a gastronomia é um espaço que possibilita o crescimento de pessoas especiais, mostrando que elas são tão capazes quanto qualquer outro indivíduo.

“A gente não acredita no simples assistencialismo. Não queremos apenas ensinar receitas ‘fáceis’ ou ‘que eles possam fazer’. Nós os desafiamos e eles sempre nos surpreendem. Fazem coisas incríveis”, declara.

Estilo ‘rock n’ roll’. O espírito ‘hardcore’ do Chefs Especiais Café também é uma maneira de deixar os funcionários e alunos mais à vontade.

O local é inteiramente caracterizado – da decoração ao som ambiente – com uma pegada ‘rock n’ roll’. Não à toa um dos maiores incentivadores do projeto é o chef Henrique Fogaça, que, além de dono do restaurante Sal e jurado do MasterChef, é vocalista da banda punk Oitão.

“Faço parte do instituto desde 2009. Eu tenho uma filha com necessidades especiais, então acho muito importante a questão da inclusão social. O mundo é muito desigual e há muito preconceito. Precisamos fazer gastronomia de uma forma que quebre essas barreiras”, diz Fogaça.

“Esse estilo ‘hardcore’ serve para mostrar que eles não são coitadinhos. São pessoas como todas as outras”, completa Simone.  Fonte

Adorei!!!  Beijos Simone Santiago Marques

 



Deixe um comentário